top
logo

Documentos

Subscrever

Visitantes

Temos 20 visitantes em linha

Home Junho
Junho
A conclusão da ofensiva contrarrevolucionária em Portugal e o seu significado PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Pedro Miguel Lima

Foi colocado online na área de Documentos em 24 de Junho de 2012

 

...dizer que, a nosso ver, se coloca ao proletariado e ao povo português, como ao proletariado dos países capitalistas, a questão de derrubar o sistema capitalista e substituí-lo pelo sistema socialista e que o facto de os portugueses terem realizado uma revolução não os dispensa de terem de realizar outra. Trata-se de duas revoluções distintas: a primeira, apesar de incompleta, era democrática e nacional; a outra será socialista e em primeiro lugar terá de destruir o poder dos monopólios e do imperialismo com base na aliança da classe operária com o campesinato (pequenos e médios agricultores) e na aliança da classe operária com os intelectuais e outras camadas intermédias.

 


A conclusão da ofensiva contrarrevolucionária em Portugal e o seu significado
A conclusão da ofensiva contrarrevolucionária em Portugal e o seu significado

 
O desvio de direita nos anos 1956-1959 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Álvaro Cunhal

Foi colocado online na área de Documentos em 24 de Junho de 2012

Retirado das Obras Escolhidas de Álvaro Cunhal, “Edições Avante!”, outubro de 2008, tomo II, 1947-1964

 

Dizer que uma solução pacífica é aquela que se dá «sem guerra civil» é conceito demasiado amplo. Uma insurreição armada não pressupõe necessariamente uma guerra civil, nem na maioria dos casos é acompanhada por esta. Dizer que uma solução pacífica é aquela que se dá «sem efusão de sangue» é também um conceito demasiado impreciso. Uma vitória eleitoral que resolva o problema político dum país, por exemplo, é uma via pacífica e, entretanto, pode verificar-se «com efusão de sangue».

 


O desvio de direita nos anos 1956-1959
O desvio de direita nos anos 1956-1959

 

 
LUTA NA CHINA (5.ª parte) O programa piloto de Wenzhou Depois da expulsão de Bo, o capital dá novo passo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Fred Goldstein

Foi colocado online na área de Documentos em 24 de Junho de 2012

Texto original: http://www.workers.org/mo/2012/lucha_en_china_0517/

Tradução do castelhano de MF

 

O programa piloto de Wenzhou constitui mais um avanço para os capitalistas privados. Permite que capitais privados fluam para a cidade. Este capital financeiro privado pode concentrar-se e crescer. Melhorará consideravelmente a acumulação de capital por parte da burguesia.

 


LUTA NA CHINA (5.ª parte) O programa piloto de Wenzhou Depois da expulsão de
Bo, o capital dá novo passo
LUTA NA CHINA (5.ª parte)  O programa piloto de Wenzhou  Depois da expulsão de Bo, o capital dá novo passo

 
Declaração da Secretária-geral do CC do KKE, Aleka Papariga, sobre os resultados das eleições de 17 de junho de 2012 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Aleka Papariga, Secretária-geral do CC do KKE

Foi colocado online na área de Documentos em 24 de Junho de 2012

Texto original: http://es.kke.gr/news/news2012/2012-06-18-dilosi-gg/

Tradução do castelhano de MF

 

Asseguramo-vos que vamos cumprir tudo o que dissemos ao povo antes das eleições. ... Esperamos que o retrocesso na orientação radical, acentuado sobretudo na segunda batalha eleitoral, não dure muito tempo, porque os acontecimentos negativos irão desenvolver-se muito rapidamente e, objectivamente, não haverá tempo a perder.

 


Declaração da Secretária-geral do CC do KKE, Aleka Papariga, sobre os resulta
dos das eleições de 17 de junho de 2012
Declaração da Secretária-geral do CC do KKE, Aleka Papariga, sobre os resultados das eleições de 17 de junho de 2012

 

 
Questões Sindicais – 37 CC OO [Comissões Operárias, de Espanha]... número 1 em hipocrisia e corrupção PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Quim Boix i Lluch

Foi colocado online na área de Documentos em 24 de Junho de 2012

Tradução do castelhano de PAT

 

É inaceitável, para qualquer defensor da justiça e da equidade, que para confundir a consciência de classe dos explorados espanhóis, um Sindicato como as CC OO – que, há muitos anos, era um Sindicato combativo – apoie publicamente os interesses de uma multinacional petrolífera e critique a nacionalização dos recursos naturais de um povo, neste caso o povo argentino. Resulta óbvio que muitos Sindicatos europeus ganham dinheiro e mordomias com a sua participação nas instituições do sistema burguês, com a exploração das fontes de recursos naturais do planeta.

 


Questões Sindicais – 37 CC OO [Comissões Operárias, de Espanha]... númer
o 1 em hipocrisia e corrupção
Questões Sindicais – 37  CC OO [Comissões Operárias, de Espanha]...  número 1 em hipocrisia e corrupção

 
« InícioAnterior1234SeguinteFinal »

Pág. 1 de 4

bottom
top

Mais Recentes

Popular

Procurar na Biblioteca


Procurar: 
Autores: 
Título: 
ISBN: 
Descrição: 
Publicado: 
Categoria: 

bottom

Produzido em Joomla!. Valid XHTML and CSS.

eXTReMe Tracker